A era da internet na educação

A pandemia afetou nosso modo de agir, de trabalhar e de estudar. Em meio a tantas mudanças que tiveram que ser feitas, a Internet tornou possível trabalhar e dar aulas, mais conhecidos como home office e EaD (Ensino a Distância).

A Internet vem sendo um poderoso recurso para compartilhamento de informações e comunicação, se tornando um apoio pedagógico nos últimos anos. Porém, esse ano alunos e professores tiveram que se adaptar à um ensino a distância antes não programado.

Agora, ao invés de quadros tem-se slides, e ao invés de salas físicas tem-se as virtuais. Professores tiveram que aprender a utilizar as ferramentas disponíveis e os alunos a acessar elas, de forma a continuar as aulas.

Uma nova forma de ensinar

 
Essa nova forma de dar aula possibilitou acessibilidade e desenvolvimento de todas as pessoas. Segundo o Instituto Nacional de Estatística, a utilização da Internet para se comunicar com professores e colegas de classe mais do que dobrou.

Os benefícios de utilizar a Internet no ensino estão relacionados com a interação, acesso ilimitado às informações, questões interdisciplinares e colaborativas.

A comunicação entre aluno e professor também cria uma nova ponte através das redes, visto que existe a possibilidade de esclarecer dúvidas à distância.

A interação com colegas, através de grupos de estudos que podem ser formados por pessoas de regiões diferentes do Brasil e até mesmo do mundo, permitindo discussão de temas em comum.

Dessa forma tanto o aluno quanto o professor consegue enriquecer seu conhecimento, tanto individual quanto em grupos. Dessa forma, as paredes das salas de aula são derrubadas, não se limitando a apenas um local para adquirir aprendizados.

Por fim, a dinâmica pedagógica pode ser mais interativa e dinâmica, contribuindo para uma formação mais ampla e atual dos alunos.

Porém, o uso da Internet na educação ainda precisa de orientações, visto que muitos alunos ainda não sabem distinguir o que é significativo e real do que não é.

Assim, a presença do professor para guiar os estudos nesse meio virtual é essencial. De forma que quando estes saiam da escola, conheçam sites confiáveis e saibam pesquisar e buscar por informações.

As ferramentas da Internet e suas aplicações pedagógicas

 
A internet trouxe diversas ferramentas que ajudam no aprendizado e na comunicação. Confira algumas delas:

– E-mail

 
O e-mail permite que o aluno se comunique com o professor para tirar dúvidas ou esclarecer pontos abordados na aula, assim como questionar sobre provas ou outros questionamentos relevantes para o estudo.

– Slides

 
Muitos professores hoje ao invés de escreverem as aulas no quadro, passam o conteúdo através de slides, que são apresentações virtuais. Com isso, eles conseguem passar mais matéria e ainda disponibilizar o material para os alunos depois.

Dessa forma, o professor não possui o desgaste físico de passar tudo na lousa, e os alunos não precisam se preocupar em anotar tudo. Podem prestar atenção na aula e revisar em casa o material utilizado pelo professor.

– Aulas gravadas

 
As aulas gravadas são muito úteis, pois podem auxiliar o aluno no estudo e permitem que ele pause e reveja quantas vezes precisar aquela determinada aula.

Isso permite que o aluno consiga extrair o máximo que conseguir e se tiver dúvidas as esclarecer com o professor através de um e-mail ou na próxima aula.

– Plataformas on-line

 
Essas estão cada vez mais implementadas nas escolas e universidades. Afinal, ali os alunos conseguem acessar notas, materiais, e tudo que for referente às matérias e a própria instituição em si.

Informativos e muito mais podem ser compartilhados e estarem acessíveis aos alunos, professores e funcionários. Além de poderem ser realizadas provas, atividades e tarefas virtuais.

Desigualdade virtual?

 
Contudo, apesar de ser uma ferramenta muito útil aos estudos, quem não tem acesso à Internet ficou para trás.

Isso porque a qualidade de conexão muda tudo, e é indispensável para que haja qualidade nos conteúdos assistidos e acessados.

Portanto, zonas rurais ou distantes das capitais sofrem inúmeros problemas com instabilidade de conexão. E isso prejudica o aprendizado do aluno, que depende da rede para poder assistir as aulas, entregar atividades virtuais e até mesmo fazer as provas on-line.

Nas próprias capitais, devido a demanda de consumo de Internet durante a pandemia, as instabilidades são perceptíveis, visto que nem todas as operadoras dessem conta do recado.

Portanto, até mesmo quem mora nas capitais sofre com quedas de rede, lentidão e travamentos.

Portanto, a utilização da Internet traz uma nova forma de ensinar, porém ainda é necessário que um modelo seja estabelecido, de forma que todos tenham acesso adequado ao mundo virtual.

Isso é o que o 5G vem prometendo, porém até termos isso em mãos, muitas adaptações precisam ser feitas, tanto para os alunos quanto para os professores, na utilização da Internet na educação.

Add Comment