Internet Residencial – Como funciona

Algumas dúvidas sempre pairam na cabeça de quem está pensando em adquirir um serviço de banda larga. Saiba como eliminá-las rapidamente para contratar sua internet residencial.

 

Ter uma boa banda larga em casa é requisito básico para a maiorias dos lares, independente de necessidade profissional ou não. O problema é que economizar dinheiro, considerando a situação econômica atual do País, também é muito importante. Exatamente por isso podemos acabar em dúvida de como acertar o nosso pacote de internet residencial.

 

Compartilhamento

A dúvida aparece por uma razão: A saída que muita gente encontrou foi a de dividir o pagamento da banda larga com o vizinho, fazendo uso dos mesmos dados que ele, levando em conta que a cobertura é ampla e potente o suficiente para o “agregado”.

Essa pode ser, de fato, uma boa alternativa para salvar alguma quantia. Mas é preciso avaliar muito bem antes de bater na porta do seu vizinho e sugerir a ideia.

 

 

A primeira consideração que deve ser feita tem a ver com a sua necessidade. Se você usa a internet profissionalmente de sua casa, dependendo da velocidade e do desempenho dela, deve ficar com os dois pés atrás, já que o compartilhamento pode enfraquecer o sinal, dependendo do uso de ambos.

Além disso, podemos encontrar problemas mais específicos e pontuais do que esse. Caso você não seja a base do modem e, por acaso, a internet cair, não conseguirá reiniciar e checar se está tudo certo com ele, caso o seu vizinho esteja passando férias em algum lugar bem longe de sua cidade.

Outros pontos mais delicados também podem entrar em pauta. Se a conta estiver em seu nome e, por acaso, algum crime for cometido através daquela conexão, podem acabar batendo em sua porta sem que você faça a mínima ideia do motivo. Como acreditamos em um mundo utópico, desconsideramos essa hipótese, certo?

 

Boas escolhas

Independente de qual foi a sua avaliação sobre a possibilidade de dividir ou não a sua internet residencial, é essencial saber quais são os modelos atuais de banda larga oferecidos pelos provedores.

Esmiuçaremos um pouquinho mais agora essas informações.

Procurar por um plano de internet residencial requer entendimento do que você precisa, ou do seu perfil de consumo, como já indicamos. Se for só você, se for você e mais alguém, você e sua família, tudo dependerá da utilização e da quantidade de pessoas envolvidas.

 

 

Encontramos opções via cabo, via satélite, fibra óptica e rádio, como você já deve ter dado uma conferida no link que disponibilizamos. As mais encontradas nas casas, hoje, são as de 3G e 4G, modelo de comunicação sem fio com grande abrangência nos espaços e ambientes.

No caso do ADSL, também conhecida como a cabo, tem mais velocidade e frequência, mas não atinge tantos lugares, por isso fazemos uso do modem e dos roteadores, para tentar estender o sinal.

 

Internet residencial não é Wi-Fi

Essa é uma dúvida muito comum e natural, por isso é interessante deixar bem claro. A internet de casa não necessariamente é Wi-Fi, o mesmo vale para a internet a cabo. O Wi-Fi é uma tecnologia de comunicação que não faz uso de cabos, ou seja, é sem fio, que geralmente é transmitida através de frequências de rádio ou infravermelhos.

Por isso, na sua casa você pode ter computadores e outros aparelhos ligados à internet através do cabo “ethernet”, aquele tradicional, enquanto outros dispositivos podem acessar sua rede através do sinal Wi-fi, como os celulares e tablets por exemplo.

Ainda tem dúvidas? Deixe sua pergunta aqui abaixo, que nós teremos o maior prazer em conversar com você.

Add Comment